Tereza de Benguela líder quilombola

Tereza de Benguela líder quilombola

Crédito da foto: Reprodução

 

Tereza de Benguela. Foi uma líder quilombola que viveu durante o século 18. Assumiu o comando do quilombo após a morte do companheiro, José Piolho. Ficou conhecida como Rainha Tereza, e sob sua liderança, a comunidade negra e indígena é sinônimo de resistência.

Não existe nenhum documento que comprove o  local de nascimento de Tereza. Ela pode ter nascido em algum país do continente africano ou no Brasil, mas apesar disso, sua vida faz parte da história pouco contada do Brasil.

Sua liderança se destacou com a criação de uma espécie de Parlamento e de um sistema de defesa. Ali, era cultivado o algodão, que servia posteriormente para a produção de tecidos. Havia também plantações de milho, feijão, mandioca, banana, entre outros.

Uma curiosidade interessante é que a líder manteve um sistema de defesa de trocas de armas- com brancos ou roubadas das vilas próximas. Os objetos de ferro utilizados contra a comunidade quilombola  eram transformados em instrumentos de trabalho, visto que dominavam o uso da forja.

Outro fato que alguns estudos apontam é que Tereza navegava com barcos imponentes pelos rios do pantanal. Ou seja, uma heroína e símbolo da força das mulheres negras brasileiras.

Tereza foi morta após ser capturada por soldados em 1770. Esse é um ponto impreciso, pois existem versões que afirmam que a Rainha Tereza se suicidou depois de ser aprisionada por bandeirantes, e outra afirma que foi assassinada e teve a cabeça exposta no centro do Quilombo.  

Sobre o quilombo

O quilombo de Quariterê ficava no Vale do Guaporé estado do Mato Grosso, existiu entre 1730 e 1795. Poucas pessoas ouviram falar e tão pouco que foi comandado por uma mulher. Resistiu à escravidão por duas décadas quando foi destruído pelas forças de Luiz Pinto de Souza Coutinho.

Após a morte da Rainha Tereza

O que se tem conhecimento é que alguns quilombolas conseguiram fugir depois do ataque dos bandeirantes e restituir o espaço, que foi novamente vítima de ação da capitania do Mato Grosso em 1777 e dizimado definitivamente em 1795.

Assista ao vídeo

A escola de samba Unidos do Viradouro, teve como enredo  da agremiação de 1994, a eterna Tereza Benguela, cujo título é “Tereza de Benguela – Uma Rainha Negra no Pantanal”. 

Fonte

https://www.ufrb.edu.br/bibliotecacecult/noticias/220-tereza-de-benguela-a-escrava-que-virou-rainha-e-liderou-um-quilombo-de-negros-e-indios

https://www.almapreta.com/editorias/realidade/tereza-de-benguela-a-lideranca-negra-brasileira

Deixe uma resposta