Novas rotinas e seus hábitos saudáveis

Novas rotinas e seus hábitos saudáveis

Desde do dia 24 de março, o governador João Doria, declarou oficialmente quarentena para o Estado inteiro. E recentemente no começo de junho (dia 8) as prefeituras anunciaram medidas de flexibilização que permitiu igrejas e o comércio a voltarem com restrições e cuidados, mas devido ao aumento de casos e óbitos, foi declarado mais uma vez o fechamento (24 de junho). Então aqueles que podem ainda se mantém isolados.

 

Por este motivo, foi necessário adaptar-se a uma nova rotina que pode não ser fácil, ainda mais estando confinado dentro de casa. Desse modo torna-se comum a busca por soluções para manter um hábito saudável tanto fisicamente quanto emocionalmente. A estudante e goleira Ana Júlia Souza Porfírio, 16 anos, conta a respeito da sua rotina de treinos em casa, afinal o clube em que ela treina segue as medidas da Organização Mundial da Saúde (OMS) se mantendo fechado.

Os treinos também exigiram da Ana Júlia criatividade para o uso de equipamentos de peso | Crédito da foto: Maria Eduarda Souza Porfírio

 

A atleta conta que gosta de fazer seus exercícios à noite por acreditar ser mais fresco e  relaxante. Além disso vê essa iniciativa de treinos proposta pelos técnicos Bruno Camargo e Paulo Santos como um modo de manter o foco da equipe de handebol feminino. A goleira afirmou ainda, “O projeto de treinos deixa a gente continuar sendo atleta nessa quarentena, ela não nos fez parar, continuamos focadas e quando voltarmos vamos voltar com tudo.”

Já a estudante de direito, Maria Eduarda Souza Porfírio, 20 anos, irmã mais velha da Ana Júlia, aproveitou a quarentena para voltar a praticar Yoga por uma questão de saúde física e mental. Através das vídeo aulas encontradas  nos diversos canais do You Tube consegue relaxar e ter um sentimento de leveza. A estudante encontrou no Yoga um momento para se desligar de tudo e concentrar-se na sua respiração, corpo e mente, além disso contou, “O yoga me ensinou a desconectar por um momento das coisas ao meu redor, das preocupações do estresse.”

Maria Eduarda fortalece seu equilíbrio através do Yoga | Crédito da foto: Ana Júlia Souza Porfírio 

 

Mesmo em quarentena muitos continuam trabalhando home-office, tendo aulas online ou mesmo realizando atividades domésticas, por isso é importante ter um momento para si.

 

Ricardo Vieira Antonio Rocha, 34 anos, é professor de artes marciais e ressalta a importância dos exercícios físicos, que além de dar uma qualidade de vida melhor, melhora a auto estima, diminui o estresse e faz muito bem a mente. O professor chama a atenção para que os exercícios não sejam apenas um refúgio a quarentena, mas para que também vire um hábito. Com dez anos de experiência como professor de Muay Thai, Ricardo afirma, “Eu tenho alunos que entraram por estética e descobrem que o Muay Thai vai além disso, é algo para vida, você prova a cada dia para si mesmo que é capaz de fazer algo melhor que ontem.”

 

Além de ser professor de Muay Thai, Ricardo nunca perdeu uma luta de MMA no Brasil | Crédito da foto: Arquivo Pessoal 

 

A estudante Maria Laura Delatorre Malvezzi, 17 anos, aluna de Ricardo relata, “Aprendi a dar meu máximo em todos os treinos e levar isso para outras metas da vida.” Com a academia fechada, devido a pandemia, Maria Laura passou a treinar em casa e como só tem um colchonete foi necessário usar a criatividade. Com um pote de whey vazio e algumas pedras criou um instrumento de peso, e assim segue sua rotina de exercícios. Além de seguir as técnicas de seu professor de Muay Thai Ricardo.

Sensação de leveza é o sentimento de pós treino da Maria Laura | Crédito da foto: Arquivo pessoal

 

O Muay Thai não é a única arte marcial que vai além da questão da estética, para o estudante de biologia Matheus Henrique Milan Luqueta, 22 anos, o Kung Fu foca não só no aperfeiçoamento do físico, mas também do mental e espiritual. Com tempo livre na quarentena decidiu retomar a prática, já que a realizava em Rio Claro, onde faz faculdade. O Kung Fu é um modo de sobreviver a quarentena e aproveitar esse tempo livre. Apaixonado pela arte marcial, Luqueta conta que treinar em casa exige bastante disciplina, por isso encontrou motivação na lembrança de como se exercitar  faz bem. O estudante recomendou a música como inspiração para quem procura ter um hábito saudável, seja prestando atenção aos sons ou mesmo praticando algum instrumento.

Campeonato 2019 |Crédito: Arquivo pessoal

Deixe uma resposta