Dandara dos Palmares líder estrategista

Dandara dos Palmares líder estrategista

Foto: reprodução

 

Tão pouco se sabe quem foi Dandara dos Palmares. Apagada em livros de história ou só vista como companheira de Zumbi dos Palmares. Muito além de esposa e mãe de três filhos. Dandara, assim como Zumbi lutou com armas para a libertação total de negras e negros no Brasil.

Foi líder estrategista no quilombo dos Palmares, no século 17, no então estado de Pernambuco (hoje predominantemente área de Alagoas).

Tinha  objetivos que iam às raízes do problema e, sobretudo, não se encaixava nos padrões de gênero que ainda hoje são impostos às mulheres. Provavelmente Dandara é silenciada e não reconhecida nos livros ou nas escolas por ainda existir um sistema patriarcal e machista.

Com essa tentativa de apagamento da história e da memória, as mulheres negras não encontram representatividade e inspiração facilmente. A sociedade que além de machista é racista tira o protagonismo de vozes importantes como a de Dandara.

A maior parte da sua história é um mistério, não há registros do local de nascimento. O que se sabe é que a heroína  suicidou-se depois de presa, em 6 de fevereiro de 1694, para não retornar à condição de escrava.

Para o povo negro a morte de Dandara é vista como a morte da liberdade.

As lendas de Dandara

Lançado em 2016

É um livro que mistura ficção, história e um toque de fantasia, onde são narrados dez contos sobre a guerreira quilombola. Escrito por Jarid Arraes e ilustrado por Aline Valek, o livro conta sobre a vida de Dandara desde o seu nascimento, explicando sua origem, suas conquistas e suas lutas.

 

 

 

 

Livro de heróis e heroínas da Pátria

Foto: UOL

O Senado aprovou no dia 27 de abril de 2019, o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 55/2017 que inclui no livro o nome de Dandara dos Palmares e Luísa Mahin. Este por sua vez, reúne homens e mulheres que se destacaram na defesa da liberdade do país.

O livro está no Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves, em Brasília.

Deixe uma resposta